17/04/2019 :: IMOBILIÁRIAS VIRTUAIS

Mercado imobiliário ganha padrão de ética internacional

Publicação é resultado de trabalho de mais de 100 entidades, dentre elas o Secovi-SP, em cujo site o documento está disponível para download em português

 


Com o objetivo de ajudar a afirmar a ética como vital para os negócios, bem como aprimorar a atuação profissional dos integrantes do setor imobiliário, a Coalizão Internacional de Padrões Éticos (IESC) publicou um conjunto de padrões.

Elaborado por mais de 100 organizações representativas da área, dentre elas o Secovi-SP, o documento - que também se aplica às áreas de construção e infraestrutura - está disponível para download nos sites das entidades, inclusive em português.

"Esse conjunto de princípios traz maior clareza e transparência ao mercado imobiliário, perante seus clientes e o público em geral. Ajuda a mitigar riscos, facilita e proporciona maior segurança aos negócios, sejam eles feitos no Brasil ou no exterior", afirma Flavio Amary, presidente do Secovi-SP.

Em 2015, os ativos imobiliários no mundo totalizaram mais de US$ 217 trilhões, montante superior ao PIB global estimado em US$ 80 trilhões, naquele ano.

Tais dados evidenciam ser fundamental que o setor reconheça o papel que os valores éticos desempenho na eficiência do setor, em todos os seus segmentos, e opere segundo suas premissas. Reforça, ainda, a necessidade de as entidades representativas da área continuarem a trabalhar na idealização de padrões que aprimorem continuamente as atividades.

Profissões das áreas de contabilidade, direito, auditoria e medicina já têm padrões globais de ética estabelecidos há muito tempo e os curadores do IES sentiram que era hora de o mercado imobiliário e profissões afins, que estão entre as maiores indústrias do mundo, produzir um documento nesses moldes.

De acordo com Peter Bolton King, presidente da IESC, valores éticos agem como uma âncora para comportamentos adequados e pesquisas apontam que a previsão é dobrar, ao longo da próxima década, o investimento em mercados imobiliários por fundos de pensão e fundos de riqueza soberana. "Portanto, a publicação ajuda a sustentar os códigos de ética existentes e cria uma oportunidade para fortalecê-los", declara King.

IMOBILIÁRIAS VIRTUAIS

Pelo visto os alertas do advogado Kênio de Souza Pereira, publicados em diversos artigos desde 2018, sobre a ilusão de centenas de locações serem administradas virtualmente, se concretizaram. A startup paulista 5º Andar, está agora convidando inúmeras imobiliárias tradicionais para que essas possam prestar atendimento aos locadores, pois esses não têm aceitado as respostas às suas reclamações por meio de robôs, conforme se constata no site Reclame Aqui. 

Robôs não cobram atrasos de aluguéis na Justiça e nem conseguem indenização dos reparos, ficando assim o inquilino tranquilo para fazer o que bem entende e o locador à mercê da sorte, pois o foco das startups é agradar o inquilino.

A startup imobiliária está agora buscando a inovação do atendimento das empresas tradicionais, que antes criticava. Certamente, não é um passo atrás na inovação, mas a constatação de que propagandas bonitas e marketing agressivo não resolvem os problemas sempre ocorrem numa locação, pois o locador e o inquilino têm interesses antagônicos. Startup cede à realidade e  se une à imobiliária tradicional 

 

 http://diariodocomercio.com.br/sitenovo/startup-cede-a-realidade-e-se-une-a-imobiliaria-tradicional/

O conteúdo que você procura

Na palma da sua mão!

A-Siim Imóveis